julho 21, 2012

Agora


Só consigo refletir sobre a incrível dualidade emocional pela qual ando passando. Sobre a sua enorme capacidade de despertar em mim os piores e os melhores sentimentos perceptíveis pela espécie humana. E sobre o quanto eu me encontro parada olhando para o mundo sem saber qual direção escolher para apontar meus pés.
I fuckin' love you! Mas não tenho ideia do que fazer com esta informação.

Estou tão cansada que não sou capaz de escrever grande coisa, embora haja muito para ser destilado por aqui. Compenso com um texto de uma escritora de verdade.



Poesia:

Terracota
(Roseana Murray)

Da terra retiro
sua gama de cores:
ocre, vermelho, ferrugem,
terracota, outono,
o sol.
E pinto a alma em pinceladas
grossas, camada sobre camada,
para aguentar o peso do céu.

Um comentário:

Profiterolis disse...

=)