março 01, 2015

Trigon

Era pra ser um texto bom, bem pensado e bem escrito. Não vai sair que eu sei. Mas minha saudade está presa na garganta - nos dedos - e o que terei serão várias frases soltas para expressar que na verdade eu queria você aqui pertinho. E eu sei que isso não faz sentido e nem funciona direito. Mas eu sinto sua falta. Eu sinto sua falta mesmo que você não faça ideia disso.
Sinto falta do seu jeito dedicado e atencioso que aposto que um monte de gente nem sabe que existe.
Sinto falta de acarinhar seus cabelos. Sinto falta do seu cheiro.
Sinto falta do jeito discreto que você arrumava para me elogiar.
Quando fiquei alguns minutos paralisada ao te ver chegar com os cabelos presos em coque. Sinto falta dessa cena assustadoramente bela. Foi tão inacreditável e inesperadamente lindo que eu não consigo esquecer. Acho que fui hipnotizada.
Sua beleza realmente me fascina.
Lembro dela o tempo todo.
Sinto falta dela.
Sinto falta do seu sexo. Do seu corpo. Da arte espalhada pelo seu corpo.
Da sua barba no meu corpo. Macia.
Sinto falta de me aconchegar devagar, tímida e quase imperceptível no seu colo.
E você não perceber, ou fingir que não percebia.
Sinto falta do seu beijo entregue.
Sinto falta de glúten, gordura trans, açúcares, sódio, e todo veneno que se pode ingerir.
Fico sem jeito de falar sobre um monte de coisas em você que eu sinto falta. Porque soa muito egoísta.
Você é uma delícia e eu sinto falta. Pronto.
E sinto uma pena danada de nós dois.
Quase sempre fico por um triz de começar tudo de novo.
Eu saí do transe em que você me colocou, mas essa falta me faz pensar que ficaram sequelas.

Um comentário:

Daiany Gomes disse...

Eu saí do transe em que você me colocou, mas essa falta me faz pensar que ficaram sequelas.

MARAVILHOSO O TEXTO! PARABÉNS ♥