fevereiro 12, 2015

Adesivos de estrelinhas e canetas coloridas

Confesso que senti ciúmes de você. Sinto quase sempre, na verdade. Algo que não esperava e nem quero, mas nem por isso desgosto. Pelo contrário. Sentir ciúmes de você é o tipo de coisa que não é boa, mas é gostosa.
Tinha tanto tempo que eu não sentia algo embaralhar meu estômago assim que faz parecer que é a primeira vez. Virei adolescente de novo, e fiquei lá, te deixando me causar ciumes sem saber o que fazer. Despertaram-se sensações que eu não lembrava como eram e que achei que jamais voltariam.

Você virou minha distração intencional. Fico muitas horas à sua espera todo dia, pensando em como chamar sua atenção e que desculpas usar para te extrair palavras e interesse. Planejo tramas para estar nos itens da sua lista de ocupações. Então você aparece e eu fico muda, rubra, gaga, derretida, com os braços perdidos, me escondendo atrás dos meus próprios cabelos. E mais um monte de sensações imaturas que dão vontade de escrever em diário e enfeitar com adesivos metálicos de coração.

Sorte. Você é uma nova viagem para dentro de mim ao resgate daquilo que eu perdi. Trouxe a lembrança de que eu estou viva e eu agradeço cada vez que meus órgãos internos se reviram de prazer e desprazer por seu incrível desinteresse. Não era pra ser assim e, por sorte, durará pouco. Talvez o certo seria eu me concentrar de deixar você fugir do meu juízo. Mas não me leve a mal, não vai dar não. É uma delícia essa minha perturbação por você.

Um comentário:

Nicole Macedo disse...

Tentei comentar em alguns mas não consegui, sumiu, e quase gritei como no dia do viber com a mãe... Amei esse texto, poderia tê-lo escrito! Quando após anos percebo que ainda existe aqui algo como nas épocas de minhas paixões ingênuas, que se revira, estremece... Deixo que perturbe... Era tão dormente que a pertubação vem doce...